a última baga

Bagas vermelhas em doces trejeitos.

‘Apetece-me uma’ disse ela. Então,

ele arranca do peito a penúltima e

diz-lhe que ‘a última que me ficou

nunca poderá pertencer à mesma que esta levar’.

Jogou fora, como quem

larga o charco aguado e perdido,

e esperou que a outra

lhe viesse nas mãos.

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s